23/12/2009

Até 2010

.
Foto: Rosimar Silva - setembro 2009
Encerro as postagens de 2009 com essa bela imagem do julgamento de Gir Leiteiro da Exposição de Brasília (DF).


Goiânia (GO)
– Girbrasil fez uma pesquisa e publica neste final de ano a relação completa de todas as grandes campeãs do Gir Leiteiro nas exposições ranqueadas e homologadas pela ABCGIL – Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro.

2009 foi um no de consolidação do gir nacional e as exposições pelo Brasil mostraram o entusiasmo dos criadores e a evolução da raça. Com esse gesto, Girbrasil aproveita para cumprimentar todos os criadores e expositores que labutaram o ano inteiro em busca de um ideal: produzir o melhor animal possível para vencer nas pistas ou no balde, por meio do torneio leiteiro.

Essa luta realizada todo dia nas fazendas e nas exposições de gir em todo o Brasil monta a grande teia do Gir Leiteiro brasileiro, por isso um tributo aos homens e mulheres que empunham a bandeira de fazer da raça uma alternativa para a pecuária leiteiro do Brasil.

O recente incidente de comercialização de gir por meio de leilões foi apenas um susto e não representara nenhum problema para a raça. Os exemplos de sucesso estão por toda parte. Compradores, vendedores, criadores e expositoras estão todos satisfeito com o que fizeram em 2009. Percorri praticamente todo o Brasil acompanhado a grande performance do gir brasileiro e vi no rosto de cada um dos criadores uma felicidade muito grande pelos degraus alcançados até agora.

Ao publicar as fotos das principais vacas Grandes Campeãs em pista e torneio leiteiro pelo Brasil, faço uma homenagem ao gir e aos seus criadores. Levei vários dias pesquisando essas informações sobre cada animal. Não consegui informações de todos os animais, mas essa tarefa me foi bastante prazerosa, pois fazendo isso sinto que estou resumindo a grande jornada do Gir leiteiro nacional em 2009.

Aproveito para cumprimentar a Abcgil – Associação Brasileira dos Criadores de Gir leiteiro pelo programa de ranqueamento e homologação das exposições pelo Brasil. O ranqueamento trouxe mais entusiasmo ao expositor. Operar um ranqueamento nacional não é fácil e por isso a equipe da Abcgil encarregada de executar essa tarefa merece os devidos aplausos e o reconhecimento pelos serviços que estão prestando à raça.

Está será nossa última postagem no ano de 2009. O blog entra em profundo recesso para uma ampla, geral e irrestrita reflexão sobre os rumos da raça gir no Brasil e no Mundo. Voltaremos somente em Janeiro e com novidades. Aguardem !!!!

Feliz Natal e prospero ano novo a todos os amigos criadores de gir do Brasil e de todas as partes do mundo.

Rosimar Silva
Girbrasil
Goiânia - GO


Meu refúgio nos próximos dias: Fazenda Santa Clara - Bela Vista de Goias


Veja aqui a relação das principais Exposições de Gir Leiteiro ocorridas em 2009

1ª Exposição Regional de Gir Leiteiro de Avaré - SP
Data: março 2009
Grande Campeã: Ristida TE da Cal (Cajú de Brasília X Lenda TE da Cal)
Expositor: Amilcar Farid Yamin
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Bagana
Produção Média: 34,740 kg
Expositora: Maria Tereza Lemos Calil – Fazenda Paraíso – Franca (SP)


Ristida TE da Cal (Cajú de Brasília X Lenda TE da Cal)



Bagana - Produção Média: 34,740 kg


1º Exposição Regional de Vitória da Conquista/BA
Data: Março 2009
Grande Campeã: Dafar San Giorge (Radar dos Poções X Janice TE Sta Edwirges)
Expositor: Ângelo Lucciola Neto – Fazenda San Giorge – Terra Nova (BA)
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Janice TE Sta Edwirges
Produção Média: 25,42 Kg
Expositor: Ângelo Lucciola Neto – Fazenda San Giorge – Terra Nova (BA)

Dafar San Giorge (Radar dos Poções X Janice TE Sta Edwirges)


7º Exposição Especializada de Passos (MG)
Data: março 2009
Grande Campeã: Uvedalia Cal (Lapinha Te Cal x Radar dos Poções)
Expositor: Miller Cresta – Fazenda Ribeirão Grande – Passos (Mg)
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Paineira Cal
Produção Média: 40,033 Kg
Expositor: Gabriel Andrade – Fazenda Calciolândia – Arcos (MG)

Uvedalia Cal (Lapinha Te Cal x Radar dos Poções)


Paineira Cal - Produção Média: 40,033 Kg


75ª Expozebu – Uberaba (MG)
Data: maio 2009
Grande Campeã: Gemada da Genipapo (Afetivo da Epamig X Iléia da Favela)
Proprietário: Adonias de Souza - Estância Vale das Veredas - Juquitiba - SP
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Regelada TE da CAL (Caju de Brasília X Heresia Abide Cal)
Produção Média: 47,230 Kg
Proprietários: Gabriel Andrade - Paulo Trindade - Valter Egídio


Gemada da Genipapo (Afetivo da Epamig X Iléia da Favela)


Regelada TE da CAL
(Caju de Brasília X Heresia Abide Cal)
Produção Média: 47,230 Kg


3ª Exposição da Raça Gir Leiteiro de Franca (SP)
Data: Maio 2009
Grande Campeã: Uvedalia Cal (Lapinha Te Cal x Radar dos Poções)
Expositor: Miller Cresta – Fazenda Ribeirão Grande – Passos (Mg)
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Tigresa TE Cal
Produção Média: 35,730 kg
Expositor: Kenity Okano – Fazenda Santo Antônio – Ituverava (SP)


Uvedalia Cal (Lapinha Te Cal x Radar dos Poções)

1ª Exposição Regional de Gir Leiteiro de Morrinhos (GO)
Data: Junho 2009
Grande Campeã: Grasiosa (Orixá de Brasília X Galeria da Tb)
Expositor: Wagner Lucio Jacinto – Fazenda Sabedoria – Bela Vista de Goiás


Grasiosa (Orixá de Brasília X Galeria da Tb)


11ª Exposição Nacional do Gir Leiteiro – Megaleite 2009 - Uberaba
Data: Julho de 2009
Grande Campeã: Fase TE F. MUTUM (Teatro da Silvânia X Quércia TE F. MUTUM)
Expositor: Léo Machado – Fazenda Mutum – Alexânia (GO)
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Planta Cal (Herdeiro de Brasília X Florida Raposo Cal)
Produção Média: 42,003 Kg
Expositor: Gabriel Andrade – Fazenda Calciolândia – Arcos (MG)


Fase TE F. MUTUM (Teatro da Silvânia X Quércia TE F. MUTUM)


Planta Cal
(Herdeiro de Brasília X Florida Raposo Cal)
Produção Média: 42,003 Kg


1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Governador Valadares/MG
Data: Julho 2009
Grande Campeã: Dalila TE (Nobre TE da Cal X Nigéria TE da Cal)
Expositor: Helio Macedo de Queiroz - Sítio Vale Azul - Governador Valadares – MG
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Dalila TE (Nobre TE da Cal X Nigéria TE da Cal)
Produção Média: 35,080 kg
Expositor: Helio Macedo de Queiroz - Sítio Vale Azul - Governador Valadares – MG

Dalila TE
(Nobre TE da Cal X Nigéria TE da Cal)
Produção Média: 35,080 kg


8ª Exposição Estadual Paulista do Gir Leiteiro de Jacareí/SP
Data: Julho 2009
Grande Campeã: Comenda Te Silvânia (Urânio Te Silvânia X Garbha dos Poções)
Expositor: Eduardo Falcão de Carvalho – Estância Silvânia - Caçapava - SP
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Canção da Silvânia
Produção Média: 38,145 Kg
Expositor: Eduardo Falcão de Carvalho – Estância Silvânia - Caçapava - SP

Comenda Te Silvânia (Urânio Te Silvânia X Garbha dos Poções)


4ª Exposição Estadual Fluminense do Gir Leiteiro de Cordeiro/RJ
Data: Julho 2009
Grande Campeã: Brancura
Expositor: Condomínio Brancura: Maria Tereza Lemos Costa Calil/Ribamar Macedo Coelho/Mila de Carvalho Laurindo e Campos/Volmer Cerqueira dos Santos/José Orlando Bordin
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Dextra Te Brasília
Produção Média: 43,440 Kg
Expositor: Fernando Fiuza Diz - Fazenda Santana - Cachoeira de Macacu - RJ

Brancura (Teatro da Silvânia X Rocar Mantilha Zonado)


1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Salvador-BA
Data: Agosto 2009
Grande Campeã: Axé Gir (Marcanti Pati da Cal X Raposa TE da Cal)
Expositor: Paulo Eduardo Guimarães de Freitas E Davi Correia de Freitas - Agropecuária Santa Terezinha - Fazenda Laranjeiras - Itanagra - BA
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Toalha TE Cal (Nobre TE da Cal X Nigéria TE da Cal)
Produção Média: 27,470 kg
Expositor: Vandivaldo Gomes de Souza

Axé Gir (Marcanti Pati da Cal X Raposa TE da Cal)

Toalha TE Cal
(Nobre TE da Cal X Nigéria TE da Cal)
Produção Média: 27,470 kg


1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Paracatu-MG
Data: Agosto 2009
Grande Campeã: Flórida Te F. Mutum (Modelo Te da Bras. X Imperatriz F. Mutum)
Expositor: Leo Machado Ferreira - Fazenda Mutum - Alexânia – GO
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Piracema Te Poções (Radar dos Poções X Violeta dos Poções)
Produção Média: 28,519 Kg
Expositor: Geraldo Borges – Haras e Fazenda Paraíso – Paracatu (MG)


Piracema Te Poções
(Radar dos Poções X Violeta dos Poções)
Produção Média: 28,519 Kg


3ª Exposição Estadual Mineira do Gir Leiteiro de Sete Lagoas/Mg
Data: agosto 2009
Grande Campeã: Brancura
Expositor: Condomínio Brancura: Maria Tereza Lemos Costa Calil/Ribamar Macedo Coelho/Mila de Carvalho Laurindo e Campos/Volmer Cerqueira dos Santos/José Orlando Bordin
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Duquesa TE
Produção Média: 39,910 Kg
Expositor: Maria Tereza Lemos Calil – Fazenda Paraíso – Franca (SP)

Brancura (Teatro da Silvânia X Rocar Mantilha Zonado)


1ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Cachoeira de Macacú/Rj
Data: agosto 2009
Grande Campeã: Caprichosa FIV Parahy (CA Sansão X Profana de Brasília)
Expositor: José Arley Lima Costa – Fazenda Parahy - Cachoeiras de Macacú - RJ
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Vasta CAL (Nobre TE Cal X Nigéria Cal)
Produção Média: 36,960 Kg
Expositor: José Antônio Lino da Silva – Fazenda Acalanto - Cachoeiras de Macacú - RJ

Caprichosa FIV Parahy (CA Sansão X Profana de Brasília)


Vasta CAL
(Nobre TE Cal X Nigéria Cal)
Produção Média: 36,960 Kg


1ª Exposição Estadual do Espírito Santo da Raça Gir Leiteiro
Data: Agosto 2009
Grande Campeã: LGR Fazenda (Vaidoso da Silvânia X Túnica da Silvânia)
Expositor: Elio Virgínio Pimentel - Fazenda Jabaquara - Anchieta - ES
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Eminência Kubera (CA Guri X FB Panorama)
Produção Média: 30,330 Kg
Expositor: Elio Virgínio Pimentel - Fazenda Jabaquara - Anchieta - ES


LGR Fazenda (Vaidoso da Silvânia X Túnica da Silvânia)

Eminência Kubera
(CA Guri X FB Panorama)
Produção Média: 30,330 Kg


27ª Expoabra – 9ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Brasília/DF
Data: Setembro 2009
Grande Campeã: Flora TE F. Mutum (Modelo TE de Brasília x Imperatriz F. Mutum)
Expositor: Léo Machado – Fazenda Mutum – Alexânia - GO
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Dinamar TE Bom Pastor (Meteoro de Brasília X Pipoca TE da Cal)
Produção Média: 43,843 kg
Expositor: Antônio Andrade – Fazenda Salobo – Vazante - MG

Flora TE F. Mutum (Modelo TE de Brasília x Imperatriz F. Mutum)

Dinamar TE Bom Pastor
(Meteoro de Brasília X Pipoca TE da Cal)
Produção Média: 43,843 kg

1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Teófilo Otoni / MG
Data: Setembro 2009
Grande Campeã: Ducha MB da Ariranha
Expositor: Patrícia Vieira Bossi Leite
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: CK Fetiche
Produção Média: 28,307 Kg
Expositor: César Khoury - Fazenda São Geraldo - Poté (MG)


2ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Resende/Rj
Data: agosto 2009
Grande Campeã: Brancura
Expositor: Condomínio Brancura: Maria Tereza Lemos Costa Calil/Ribamar Macedo Coelho/Mila de Carvalho Laurindo e Campos/Volmer Cerqueira dos Santos/José Orlando Bordin
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Seriação TE CAL
Produção Média: 32,850 Kg
Expositor: Cristiano Oliveira Canha

Brancura (Teatro da Silvânia X Rocar Mantilha Zonado)

Seriação TE CAL
Produção Média: 32,850 Kg


1ª Exposição Regional do Gir Leiteiro de Alagoinhas/Ba
Data: outubro 2009
Grande Campeã: Atriz Sansão FIV BN
Expositor: Gerado Magela Sant’anna
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Aldebarana Touro
Produção Média: 28,593 Kg
Expositor: Augusto Andrade – Agropecuária Morena - Fazenda Região do Mel - Catu - BA


2ª Exposição Especializada do Gir Leiteiro de Uberlândia/MG – Camaru
Data: Outubro 2009
Grande Campeã: Amazona Alto Estiva (Paraná Alto Estiva X Nuvem TE A. Estiva)
Expositor: Henrique Cajazeira Figueira - Fazenda Figueira - UBERABA – MG
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Fresta TE Bom Pastor
Produção Média: 33,030 kg
Expositor: Antônio Andrade – Fazenda Salobo – Vazante – MG


Amazona Alto Estiva (Paraná Alto Estiva X Nuvem TE A. Estiva)

Fresta TE Bom Pastor - Produção Média: 33,030 kg

1ª Exposição Estadual de Gir Leiteiro de Goiás/GO
Data: outubro 2009
Grande Campeã: Birmânia DSIL (C.A. Sansão X Samanta ZS)
Expositor: Daniel Silvano – Fazenda Santo Antônio – Bela Vista de Goiás
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Ginásio
Produção Média: 20,840 kG
Expositor: Daniel Silvano – Fazenda Santo Antônio – Bela Vista de Goiás


Birmânia DSIL (C.A. Sansão X Samanta ZS)


2º Exposição Internacional Do Gir Leiteiro - Feileite – 2009 – São Paulo (SP)
Data: novembro 2009
Grande Campeã: Queimada dos Poções (Major dos Poções X Letícia dos Poções)
Expositor: Kenyti Okano – Fazenda Santo Antônio – Ituverava - SP
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Carioca de Brasília (Fantoche de Brasília X Juliana de Brasília)
Produção Média: 42,782 kG
Proprietários: Amândio Alves Salomão e Flavio Peres, da Fazenda Brasília


Queimada dos Poções (Major dos Poções X Letícia dos Poções)

Carioca de Brasília
(Fantoche de Brasília X Juliana de Brasília)
Produção Média: 42,782 kG


6º Exposição Estadual do Gir Leiteiro – Fenagro 2009 – Salvador (BA)
Data: Dezembro 2009
Grande Campeã: Polina TE Bem Feitor Cal (Bem Feitor Raposo Cal X Decisão Paraíso Cal)
Expositor: Gabriel Andrade – Fazenda Calciolândia – Arcos (MG)
Grande Campeã do Torneio Leiteiro: Bonança (Efalc Paraíso X Efalc Neblina Zonado)
Produção Média: 29,707 Kg
Expositor: José Nunes Filho – JN Agropecuária


Polina TE Bem Feitor Cal (Bem Feitor Raposo Cal X Decisão Paraíso Cal)

Bonança (Efalc Paraíso X Efalc Neblina Zonado)
Produção Média: 29,707 Kg

Das barrancas do São Francisco


.
Caro Rosimar,


Antes de tudo, como criador de Gir, quero agradecer o espaço livre e democrático que você mantém em favor desta raça maravilhosa que é o Gir. Deixando de lado a retrograda discussão de “raça pura”, “padrão”, “leiteiro” etc. A discussão do momento é o “Caso Caixeta”.

Todos os nossos companheiros que manifestaram sobre o “caso” com propriedade deram sua contribuição em favor da raça.

Necessário destacar as palavras do Dr. Ivan Ledic e do senhor Onofre Ribeiro, o primeiro reputo um dos maiores pesquisadores da raça, leia-se pesquisador sério, o segundo além de criador o “Embaixador” da raça Gir no Brasil e no mundo. Hoje é vergonhosa a posição da ABCZ que empresta credibilidade duvidosa a controle leiteiros que há muito deixaram à casa dos 8.000 kg. leite.

Em certa ocasião recebi um e-mail de um companheiro solicitando sugestões para um concurso leiteiro que iria patrocinar. Respondi que com relação às regras deveria observar o que é prescrito no concurso leiteiro da ABCZ e que eu iria acrescentar uma única norma: todas as participantes serão submetidas a teste antidoping sendo desconsiderada a lactação do animal que for identificado qualquer substância química para potencializar a produção. O companheiro respondeu o meu e-mail em um tom até um pouco agressivo e no final acrescentou “você não quer que eu faça o concurso leiteiro”.

Creio que a base evolutiva do ser humano está no dom especial do “livre arbítrio” por isto respeito quem opta por “criar vaca no quintal” e “levar vaca para o quarto”. Eu optei por não participar desses torneios dos quais se tem notícias de vacas morrendo de véspera e que o “leite” resultado do concurso só serve para o banho da vitória do expositor ou para ser jogado no esgoto.

Não obstante continuo participando do controle oficial da ABCZ mesmo com minhas vacas dando no máximo 5.000 kg de leite (uma só). Porém a regime de pasto, cana com uréia e ração comercial, o que me deixa muito feliz. As vacas que comprei em leilão e de terceiros que compraram em leilão, nenhuma, absolutamente nenhuma repetiu a lactação oficial. Claro que eu não gasto R$ 2.000,00 (dois mil reais) por mês para minha vaca produzir 30, 40 e hoje até mais de 50 litros de “leite” em uma pesagem. Este é o valor que um criador me confidenciou está pagando para uma empresa especializada em produzir “altas lactações para torneio leiteiro”.

Aí vem o “Caso Caixeta”. Na verdade o Jorge Caixeta é vítima, vitima de uma “jogada de publicidade”, vítima da vaidade retratada pela Sabedoria de Salomão. Vítima que demonstrou honradez ao admitir que não tinha condições de pagar e devolver o que comprou. Oportunas as palavras do grande criador Onofre Ribeiro, todos nós estamos sujeitos a sucumbir, porém o importante é dá a volta por cima, o mundo é redondo e gira, desejo ao senhor Jorge e ao seu filho Lucas serenidade e disposição para recomeçar. De qualquer forma o “caso” serviu para iniciar um debate acerca dos remates em proporção jamais vista na raça Gir.

No remate televisivo temos em linhas gerais a participação de vários atores como bem retratado pelo Dr. Ledic, porém, o negócio é finalizado entre três pessoas, o vendedor, o comprador e a empresa leiloeira. Ora, um contrato para alcançar seus objetivos sociais, tem que ser justo e atender as expectativas de forma igualitária para todos os envolvidos. O vendedor dá o prazo, o comprador aceita o prazo e se compromete a pagar o preço aferido em hasta pública. E a empresa leiloeira? Recebe antecipadamente a sua comissão, não corre nenhum risco e leva uma vantagem desproporcional ao risco assumido pelo vendedor e comprador. Longe de ser plausível o argumento de que existem despesas assumidas pela leiloeira e esta deve receber antecipadamente. Despesa por despesa a do criador é muito maior da imobilização do capital em terra ao nascimento do animal e sua manutenção. Ou seja, para uma das partes envolvidas não é identificado qualquer risco no negócio.

Aqui se encontra o nó gótico que necessita ser enfrentado. Quem faz o cadastro é a leiloeira, logo ela tem que ser solidária com o pagamento do preço, ou no mínimo receber sua comissão ao longo do vencimento das parcelas. Pode a empresa leiloeira dizer isto eu não faço. Tudo bem, é um direito da empresa leiloeira não aceitar ser solidária ao pagamento das parcelas ou mesmo receber sua comissão ao longo do vencimento e liquidação das parcelas vincendas. Aí eu pergunto, pra quê temos associação de criadores? Será que as nossas associações não têm condições de organizar e realizar leilões. Aqui em Pirapora quando assumi a presidência do Sindicado dos Produtores Rurais tive problema semelhante, resolvido com a simples compra de um programa de computador que gerencia o leilão.

De lá para cá, não tem mais empresa leiloeira, somente é contratado o leiloeiro, visto que legalmente somente aquela pessoa credenciada como tal pode conduzir o remate e as pisteiras. Imagina Rosimar um leilão com a chancela do ABCGIL ou ASSOGIR, imagina a credibilidade visto que a associação no caso tem que garantir a oferta. Se usou hormônio, super alimentação o que for tem que constar na ficha do animal, compra quem quer, porém tem que ter transparência e credibilidade, talvez se isto acontecesse não será mais necessário criar “vaca no quintal” ou “levar vaca para o quarto”. Fica com Deus. Ainda está me devendo uma visita.



José Patrício da Silveira Neto

Fazenda Santa Isabel

Pirapora (MG)

22/12/2009

Leilão da Associação Fluminense de Criadores de Gir Leiteiro


.
Prezados Clientes do Leilão da Associação Fluminense de Criadores de Gir Leiteiro,



Informamos que vendemos 1/3 dos animais, num Total de 8, perfazendo uma Média real de R$ 14.125,00 ror animal comercializado.

Informamos ainda que já está aberta a venda direta AFCGIL e que agora o 1º A OFERTAR COMPRA O LOTE.

LEMBRANDO QUE AGORA O MULTIPLICADOR É 15 E O PAGAMENTO EM 2+2+11 MENSAIS.

Bons negócios a todos!!!!! É só clicar no banner e ir direto ao recinto.


Atenciosmente,



Antônio Henrique Almeida
Flávio Birman
CanalDeLance.com
Rio de Janeiro

"Imparcial em tudo que chega em suas mãos"

.
Prezado Rosimar Silva,

Estou orgulhoso em ter um companheiro girista e chefe maior do grande grupo
da mídia do gir leiteiro, que é o blog GIRBRASIL, sinto em você um grande
mestre, imparcial em tudo que chega em suas mãos, no que vem acontecendo no
episódio (Caixeta), sábio é aquele que espera tudo passar e não ser omisso, publica tudo que cada criador sente e quer expressar na atual conjuntura.

Não temos o direito de julgar ninguém, muito menos quando não nos envolve
emocional, moral e economicamente, sou seu fã numero um e precisamos ter
calma, porque as únicas coisas permanentes em nossas vidas, são as mudanças
e isto esperamos em Deus, nosso grande mestre supremo.

Um forte abraço.

Raimundo Pereira de Oliveira
Fazenda Terra Santa
Mambaí (GO)

"Com os pés no chão"

.
Dr Ivan,

Sábias palavras como sempre.

Não gosto de fazer manifestos públicos mas acho isso agora pertinente, em função de oferecer alguma tranquilidade.

Bem distante dos holofotes, há muitos selecionadores com foco no verdadeiro mercado da cadeia do leite, ofertando produtos de qualidade, por preços justos, e satisfatoriamente remuneradores.

Por selecionarem gado à pasto, ficam fora das pistas.

Por não darem hormônios às suas vacas, ficam fora das altas lactações e dos concursos leiteiros.

Suas forças estão na palavra de ordem: sustentabilidade.

Por estarem "com os pés no chão", não têm sofrido com inadimplências.
Assim vão persistindo nesse mercado, alguns há mais de 70 anos.

Seus lamentos são apenas de não conseguirem suprir a demanda.





Carlo Rossi

Coqueiral - MG

"Pedigree não significa identidade de herança"



Caro Rosimar,

Creio que no Email que te enviei nessa sexta feira estava eu profetizando alguma coisa. Tinha comentado que as discussões do Blog Girbrasil tinham terminado e que esse estava se atendo somente aos inúmeros Leilões e isso já estava se tornando cansativo, haja vista a quantidade insuportável de remates efetuados quase que diariamente, sempre com os mesmo comentários curiosos, senão estapafúrdios, com muito blá bá blás (ALGUNS ÓTIMOS FORAM PUBLICADOS NO SEU BLOG).

Muitos eram de dar risada, tal como essa frase que escutei de um animador da festa em um dos inúmeros Leilões “EU CRIARIA ESSA VACA NO QUINTAL DE CASA, VEJA A MANSIDÃO DELA ...” e rebatido imediatamente pelo leiloeiro –“EU JÁ CRIARIA NO MEU QUARTO”. Imagina só: dormir com uma vaca! Só que nenhum deles queria nada disso (tanto que não compravam, pois estavam apenas exercendo suas atividades de vendedores) - queriam apenas elevar mais o preço e manter a ciranda financeira que os sustentam, CUMPRINDO COM PROFISSIONALISMO o papel para o que foram contratados.

E isso estava dando Ibope, porque muitos amigos criadores de Gir Leiteiro assistiam os Remates televisionados para ver se teria alguma nova novidade nas interpelações do agenciador e qual o novo ‘jargão’ que surgiria. O circo esteve armado durante todo o ano pela ‘turma dos organizadores com pré-acordos dos convidados’ e todos no picadeiro aplaudindo os lances em cima de lances.

Em qualquer leilão do Gir Leiteiro todos os animais tinham seus predicados como os melhores da raça, mesmo antes de nascerem (prenhes de embriões com base no pedigree), como se fosse matemática e não genética quantitativa em que não se pode prever o que ocorre com a segregação independente de genes.

Só para explicar: Identidade de pedigree não significa identidade de herança. Estima-se o mérito zootécnico dos animais por seleção efetuada por avaliações em diversas fases:
I) Numa primeira fase pela genealogia (o pedigree indica o que o animal pode ser);

II) Numa segunda fase pelo próprio desempenho (o fenótipo mostra o que o animal parece ser),

III) Em definitivo, pela produção de sua descendência (a progênie prova o que ele realmente é).

Assim tudo fica na conjectura do que poderá ser um embrião que ainda vai nascer e da novilha que terá de esperar uns 4 anos para que possam parir e chegar na fase II (se parir – porque hoje tudo é FIV e TE), se não morrer antes .... e se for macho esperar 8 anos para chegar na fase III (PROVADO OU NÃO NO TESTE DE PROGÊNIE). Enfim, Um Tiro no Escuro que pode sair na culatra.

OBS.: as consequências do grande número de genes que afetam as características é obtido por fórmulas gerais. O número de diferentes tipos de gametas e genótipos possíveis com n pares de genes é de 10 elevado à 0,301n e 10 elevado à 0,477n, respectivamente. As possibilidades para diferenças hereditárias nessas condições são enormes e podem ser avaliadas comparando-se com o número de animais de cada espécie existente no mundo. Assim, se o número de pares de diferentes genes heterozigotos (alelo diferente) em cada espécie for igual a 40 (em bovinos é de 30 a 50 mil genes), as diferentes combinações hereditárias possíveis são de milhões de bilhões mais numerosas que nenhuma calculadora é capaz de executar. Dessa forma a frequência dos genes nunca é a mesma em nenhum descendente, mesmo que os pais sejam os mesmos (nenhum filho é igual ao outro), à exceção de gêmeos idênticos.

Bom (com um “o” e não com dois “os”) que todos os VERDADEIROS SELECIONADORES ‘GANHARAM O SEU’, inclusive seu Blog, que foi utilizado para divulgação dos eventos – ESSA É SUA FUNÇÃO DE ANUNCIADOR. Cabe agora aos ‘investidores do mercado financeiro’ conseguir manter o boom (adoram os dois “os”), o qual parece que vai se transformar em ‘bumm’ rapidamente.

Gostaria que todos lessem novamente o artigo publicado em Girbrasil “Para quem é o Gir Leiteiro? Que caminhos são esses? Uma Alerta”, e, também, publicado posteriormente nas Revista DBO -Mundo do Leite e Balde Branco. Alardeava eu a preocupação com tudo isso que está começando a ocorrer.

Creio que em 2010 o mercado da pecuária de leite vai ditar o verdadeiro caminho do Gir - atender aos produtores de leite, dentro da realidade de quem vive disso e continuar podendo ser material acessível aos criadores da América Latina e outros países (assustados com tudo isso, onde se procura cada vez mais ‘PRODUZIR LACTAÇÃO’ em vez de ‘PRODUZIR LEITE’, como se recorde fosse o ideal e não o leite economicamente viável), moralizando a atividade, pois certamente os preços voltarão à normalidade (apesar dos leiloeiros e mascates continuarem a insinuar que os valores ainda vão ‘aquecer mais’ e depois de receberem suas comissões não tem nenhuma responsabilidade pelo pagamento das dívidas contraídas nas 12, 20 ou 30 parcelas ainda a vencer, conforme consta do edital – COMPRA QUEM QUER E QUE ACHA QUE PODERÁ PAGAR).

Acredito no esgotamento desses recursos ‘daqueles’ que nunca souberam o que é a verdadeira atividade leiteira e adentraram nela. Irão de qualquer forma tentar repor o que gastaram, porque a única coisa que querem e sabem fazer é vislumbrar lucros rápidos. TODAVIA PARA ISSO TERÃO QUE CONSEGUIR MAIS ARTISTAS, APRESENTADORES, CANTORES E POLÍTICOS, ALÉM DE PROCURAR OUTROS EMPRESÁRIOS PARA MANTER O ‘FOGO ACESO’ dessa pirâmide de gananciosos que sempre querem o ganho fácil.

R$ 1 milhão por uma vaca não representa nada para esses que possuem ‘fortunas acumuladas’ e que os animadores fazem folia como se o produtor de leite pudesse entender como se pode comemorar algo que foge à lógica de quem sobrevive da venda de leite a R$ 0,60 o litro com custos que representam até 80% desse valor. E TEM DIRIGENTE DE ENTIDADE QUE AINDA ACHA RUIM COLOCAR ISSO NA MÍDIA, porque diz que o gado de elite é para a elite e que essa genética tem de ficar é para o topo da pirâmide, desconhecendo totalmente o ciclo de repasse para os outros extratos até atingir a base.

Coitado dos usuários da base que precisam ter acesso a isso, como tinham antigamente, e jamais poderão adquirir animais a preço compatíveis e justos, porque quem pagou caro vai querer vender caro e somente aqueles que podem poderão....

Essas pessoas nunca serão como os pioneiros que durante décadas edificaram e promoveram o Gir Leiteiro, juntamente com outros CRIADORES que transformaram o Gir em um gado especializado e adaptado para produção de leite nos trópicos (no tempo que ainda conseguiram formar seus rebanhos). Ótimo ver Girbrasil com assuntos outros e que novas idéias e questionamentos surjam, como os comentários do Caio Sandro Araújo e Sej Johnsson, nessa mesma linha de raciocínio.

Que Girbrasil valorize cada dia mais a divulgação do Gir Leiteiro de capim também, para que novos CRIADORES acreditem nessa raça especializada mantida no Brasil como material a ser expandido para quem dela necessite para atender a tendência de mercados para produtos ambientalmente adequados e como estratégia capaz de contribuir como fator que pode compor elementos de marketing ambiental de conceito de mecanismo de desenvolvimento limpo na busca de alternativas para redução dos problemas referentes ao desenvolvimento sustentável.

Falando no mercado internacional, envio dois emails de amigos do México e Costa Rica (Manuel Suares e Edgar Sanchez), os quais você conheceu no Congresso Internacional de gir, em Palenque, No México. Esses emails (gostaria que publicasse também) mostram que com os altos preços do Gir Leiteiro brasileiro, nossos patrícios estão resolvendo a questão de multiplicar o Gir com seus próprios animais, a exemplo da Colômbia (hoje com um rebanho muito próximo do nosso em quantidade e qualidade), dependentes somente do sêmen brasileiro de touros provados pelo TP e alguns procurando novos criadores e linhagens leiteiras de rebanhos Gir com produções que se repetirão em seus países, sem a fobia de terem animais com lactações dependentes do uso de concentrados.




Ivan Luz Ledic
Médico Veterinário, MSc. em Melhoramento Animal, DSc. em Produção Animal
ex-Diretor Técnico da ABCGIL, Pesquisador aposentado da Embrapa Gado de Leite e Diretor Técnico da Assogir, em Uberaba (MG)



Prezado Ivan,

Hola mi caro amigo, hoy despues de una semana de mucho recorrido y camaderia salieron de vuelta a Mexico nuestros amigos.

Fue un exito; primero, logramos que Jorge Jr fuera aceptado en la universidad Earth. Jorge padre logro aumentar la produccion de las vacas en mas de un 30% solamente haciendo unos pequenos cambios en el manejo. Todos nos quedamos con la boca abierta. Hasta el Dr. Eduardo Montealegre que decia que solo con mejor genetica lo lograriamos.

Manuel encantado con las receptoras. Para Enero quiere mandar unas novillas. Fuimos a Sacramento, Lapas, Buena Vista, La Roca, Ballena. Tambien visitamos una finca de bufalas y otra de Simmental en ordena.

TODO ESTO TE LO DEBO A TI, EL GRAN EMBAJADOR QUE UNE A LA FAMILIA GANADERA.


Un fuerte abrazo,
Edgar








Isabel Flores, Rosimar Silva e Edgar Sanches Aquilar. Edgar é criador de Gir na Fazenda La Roca, na Costa Rica. Esta foto foi durante o Congresso Internacional de Gir na cidade de Palenque, em Chiapas, no México, em agosto de 2009.









Estimado Dr. Ivan:

El viaje con Edgar fue excelente, nos dedico toda una semana, fue un bonito viaje y disfrute mucho de Costa Rica.

Mucho le agradezco que usted me presentara con Don Edgar, sin duda es una persona extraordinaria, con una humildad y simpatia especial, como decimos aca, "UN PERSONAJE".

En los proximos dias estare resolviendo los asuntos de la Exportación para enviarle las primeras 6 hembras gir leiteiro y empezar una alianza para la multiplicación de este material para Costa Rica y CentroAmerica.

Esto no se hubiera logrado sin la participación DEL EMBAJADOR DEL GIR IVAN LUZ LEDIC. Hoy mas que nunca me queda claro que el Gir hace amigos.

Le comento que Jorge Priego nos hizo el viaje muy ameno y creo podra ayudar mucho a Don Edgar a explotar al maximo su hato lechero.

Le mando un fuerte abrazo y mi agradecimiento por todas sus consideraciones para conmigo.

Su amigo.






Manuel Antonio Suárez Romero
Brasuca - Mexico

"Percalços da vida"


.
Caro Rosimar,


Ratifico de modo, adequadamente, peremptório as palavras do nosso brilhante companheiro Onofre Ribeiro, pois nenhum de nós está livre dos percalços da vida.

Agiu com habilidade de um líder político, com a parcimônia e sensibilidade de um diplomata e com argúcia dos grandes causídicos.

Demonstrando mais uma vez que não é homem egoísta, resolvendo um problema não apenas dele, mas de muitos; gestos que pertencem somente aos grandes homens.

Quanto ao Caixeta, que no meu modo de entender, não agiu dolosamente, devemos ressaltar sua boa vontade em solucionar o impasse, não se eximindo de suas responsabilidades, demonstrando sua fibra e coragem, diferente de muitos que fogem em detrimento ao prejuíjo alheio.

Aproveito a oportunidade Rosimar, para desejar que as bênçãos do Natal estejam em nossas casas durante todo o ano de 2010, extensivamente a toda família girista.

Um abraço do amigo,





Antônio José Dourado de Oliveira

fazenda Rancho do Ipê
Colinas - Maranhão

21/12/2009

Lucas Caixeta e o Mercado do Gir Leiteiro

.
Nunca fui de bater e depois assoprar, uns falam que isto e autenticidade, outros ignorância, eu particularmente não parei para ver o que é.

Lucas Caixeta, quando fiz referência ao caso da devolução do gado de vocês, postado no Blog Girbrasil, nunca tive a intenção de ofender-lhes e mais ainda, alardear o mercado para o fato, não tenho nada haver com os caminhos que o seu Jorge Caixeta tomou com relação aos seus investimentos, muito pelo contrario, não sou contra e muito menos a favor, pois nunca dei assessoria e nem marquei os caminhos que ele deveria seguir, que fique claro, esta é a minha posição.

As minhas palavras tiveram a clara e única intenção de chamar também à responsabilidade as Firmas Leiloeiras, Assessorias, Canal de Tv`s, Mídia Escrita, Associações, em fim, todos os envolvidos no processo dos Leilões, que logo, logo vão supera a parcelas para mais de 100, não acho justo somente o "criador" e o "comprador" ficarem com os dissabores e os riscos do negócio.

Como vendedor em Leilões, tive e tenho ainda, bastantes clientes me dando trabalho para pagar e que diga de passagem, não tiveram a honradez e o caráter do seu Jorge Caixeta de propor a devolução dos animais que arremataram, simplesmente não pagam e quando o fazem e como se tivesse fazendo um favor para mim.

Como comprador, também tenho histórico de animais que não são nem a metade que foi divulgada, nos catálogos, bem como deve ter animais meus que também não são o que o comprador desejava ter em sua propriedade.

No tocante as Firmas Leiloeiras, Assessórias Especializadas, Canais de Transmissão, Agência de Publicidade, Vendedores, Compradores, Associações de Raça e outros envolvidos nos Leilões de Elite, tenho para mim que todos deveriam ser solidários em todo o processo do antes, durante e depois das vendas, bem como também com os futuros resultados, pois sempre digo sempre “Cumpanheiro é Cumpanheiro, e Pé de Jaca e que produz fruto dependurado”.

Temos que achar um rumo para as nossas comercializações, pois só assim teremos a sustentação do nosso negócio, que é bom, esta em alta, tem futuro e finalidade social, basta falarmos a mesma língua, sei também que a terefa e árdua, mais possível, basta muito trabalho e mais transparência.

Sempre defendi a venda em 10 parcelas únicas (1+9 mensais), bom para quem vende e também para quem compra, sendo que dai e ao longo dos recebimentos, todos os envolvidos tirassem a sua porcentagem previamente acertada. Claro que hoje com o sistema atual só com uma clara e árdua luta e que conseguiremos praticar estes patamares, aqui defendidos por mim.

E não adianta ser no meu Leilão (30 DE MAIO DE 2010 - DURANTE A EXPOGOIÁS), para iniciar esta modalidade, pois antes já terão ocorridos mais de uma centena. Então a hora e esta, das rédeas serem tomadas e o trilheiro ser seguindo devidamente demarcado.

Fique aqui o meu pedido para que os grandes responsáveis pela condução dos mesmos (LEILÕES DE ELITE), façam uma corrente para que possamos continuar em 2010, com a mesma vontade de trabalhar.

Pois penso que se continuar assim, logo, logo esta modalidade de venda, vai ser sepultada e nosso comércio voltar para dentro de nossas porteiras.


Caio Sandro de Araújo
Gir Arca - Caldas Novas- Goiás
caiogir@gmail.com
64 - 8415-1018

"Tragédia anunciada"

.
Prezado Rosimar,

Infelizmente este era uma tragédia anunciada, o Nelore passou por isso, Simental, Limousin entre outras, estão supervalorizando demais animais que não têm capacidade de dar o retorno investido, espero que os criadores tirem lições deste triste acontecimento para que não ocorra no futuro.

Outra coisa que acho importante salientar é a coragem e a honestidade dos “Caixeta”, não é fácil a pessoa admitir que errou, arcar com os erros e enfrentar a situação de cabeça erguida, eles estão tendo a hombridade de assumir o problema, devolver os animais e evitar o calote e prejuízo maior aos vendedores. Todos nós que criamos e selecionamos Gir torcemos para que isso não venha mais a acontecer, mas se ocorrer espero que o criador tenha a mesma atitude dos “Caixeta”.

Esse ano acho que foi um ano diferente, 2009 foi o ano do Gir, mas também foi o ano em que o mundo enfrentou uma das maiores crises da história, por isso acredito que os passos devem ser dados ainda com mais cuidado, o gelo sob nossos pés está mais fino que o normal e a água gelada sob ele pode não ser mortal, por isso nos dias de hoje a cautela e a racionalidade são de suma importância, infelizmente o Jorge e o Lucas estão aprendendo da pior maneira possível, mas de cabeça erguida, que sirva de exemplo a todos.

Feliz Natal e bom 2010 para todos.

Abraços

José Eduardo Mello
Gir das Paineiras
Itapetininga/SP

20/12/2009

Rio de Janeiro encerra a temporada de leilão de gir leiteiro em 2009


.
Rio de Janeiro (RJ)
– Hoje (20/12/2009), a partir das 21 horas, encerra o leilão eletrônico da Fazenda Gameleira pelo CanalDeLance. Tudo pode acontecer até a zerado do relógio.

Amanha será a vez do III Leilão Gir Leiteiro, promovido pela Associação Fluminense de Criadores de Gir leiteiro - AFCGIL, cujo presidente é José Antônio Lino da Silva. Os pré-lances para o leilão de amanhã já estão abertos.

Segundo informação do CanalDeLance, que fará a transmissão do leilão pela internet, com o apoio de Girbrasil, já acontecem 18 disputas por meio dos pré-lances

Caso Caixeta: levantar a cabeça e dar a volta por cima


.
Prezado Rosimar,

Hoje ao acessar Girbrasil, como faço toda manhã, me deparei com a noticia bomba sobre a crise envolvendo Jorge Luiz Caixeta, de Uberlândia.

Primeiro que parabenizá-lo pela forma como você publicou a notícia e por você ser uma pessoa extremamente bem informada no meio girista. Acho até que esse tipo de notícia não deveria ser publicada, mas por outro lado também concordo que o mercado deve saber de tudo.

Por isso, gostaria de também ocupar um espaço em Girbrasil para dizer ao Brasil e ao mundo, pois sei que criadores de vários paises já leram esta noticia, que também fui um vendedor de gado de elite para Lucas e Jorge Caixeta.

Como vários criadores, confesso a você que estive na fazenda de Jorge Caixeta, a seu pedido, para identificar e retirar os animais que ele, infelizmente, não deu conta de pagar.

Quero, de forma fraterna, me solidarizar com esse criador que passa por um dos piores momentos da sua vida e dizer que esse tipo de fato pode acontecer com qualquer um de nós. Digo isso de coração aberto, pois sou criador de gir por natureza e não faço da raça uma opção econômica para viver.

Ao longo da minha vida presenciei vários fatos dessa natureza e um deles ocorreu dentro da minha casa com o meu próprio pai que já quebrou literalmente, mas não se deu por vencido e deu a volta por cima.

Escutei de meu pai várias estórias de fazendeiros que entraram em crises financeiras e até cometiam suicídio, coisa comum nos idos da década de 40, durante o governo de Getúlio Vargas, que facilitou os financiamentos e depois fechou as comportas.

Por isso, quero dizer que Jorge Caixeta, mesmo nesta situação altamente constrangedora, teve a dignidade de assumir sua dificuldade e comunicou-me sobre tudo, me recebeu educadamente, colaborou com a retirada do gado, não obstruiu nada e permaneceu na fazenda mesmo diante de tanta vergonha e sofrimento.

Não é fácil uma situação desse tipo. Por isso, procurei minimizar os prejuízos para ambos os lados, pois no meu caso, não havia recebido nenhuma parcela, mas havia pago comissão de venda dos animais e disse ao Caixeta que ele não seria pressionado por mim para reaver esse dinheiro.

Por fim, desejo ao pai e ao filho muita serenidade, muita maturidade nesta hora para resolverem todos os problemas e levantar a cabeça e dar a volta por cima. Torço para que não deixem de criar Gir e que um dia ainda possamos nos encontrar e fazer negócios, bons e saudáveis negócios.

Espero que os colegas criadores de todo o Brasil também tenham um postura capaz de entender as dificuldades desse homem que está sofrendo muito neste final de ano. Nós trabalhamos muito para pagar nossas contas, mas não devemos orientar nossas ações somente em busca do dinheiro, o respeito, a consideração e a compaixão também têm que ter peso nas nossas decisões.


Cordialmente,




Onofre Ribeiro
Estância Jasdan
Paraopeba (MG)

"Lucas e Jorge Caixeta: espero vê-los em breve"

.
Prezado Rosimar,

Acho que a atitude dos Caixeta foi extremamente correta. Encararam de frente o problema, procuraram resolver individualmente com cada vendedor.

Isso poderia servir de exemplo para os ocultos que dão passos maiores que as pernas todos os dias.

Aos que gostam de julgar o próximo, tomem cuidado com o que falam. Somente eles sabem o que é melhor para eles.

Aos que acham que o próprio trabalho é o melhor, simplesmente continuem fazendo, sem diminuir o trabalho do outro. O mercado vai selecionar o que ele quer. Não são vocês quem vão dizer para onde ele vai seguir.

_ Lucas e Jorge Caixeta, a bezerra que vendi para vocês, fica com vocês. Espero vê-los em breve com o devido equilíbrio da atividade.



Luciano Conceição
Gir Santa Terezinha
Brasília - DF

"Touro de milhão em vaca de tostão"



.
Prezado Rosimar,


Acabei de ver no blog a matéria sobre os “Caixeta”. Lamento por ambos, pai e filho, pois é triste presenciar a derrocada seja lá de quem for.

Oportunamente, o acontecimento cá entre nós já era esperado - alguém iria "quebrar" mais cedo ou mais tarde.

Minha opinião, é que vem muito mais por ai.

Ultimamente, retratando a realidade do Gir, o blog tem sido praticamente um veículo de programação de leilões, são tantos e cada um mais espetacular que o concorrente que ficamos admirados com a "voracidade" do mercado!

Quem acompanha o Gir de longa data, surpreende-se com os valores pagos em prenhezes e bezerras - é uma aposta alta, praticamente uma ação de risco, pois sabemos que a confiabilidade e consistência leiteira do Gir ainda são reduzidas. Não é absurdo algum, afirmar que quem compra uma bezerra filha de um renomado touro com ma renomada vaca tem pelo menos 40% de ser uma vaca comum, 45% de ser uma vaca boa, e uns 10% de ser uma vaca boa e 5% de ser uma muito boa ou realmente excepcional.

O que nos leva a crer que com a quantidade de prenhezes vendidas vai ter muita gente com mico na mão em um futuro próximo. Como contabilizar esse prejuízo!

Alem disso, mesmo quem adquiriu uma doadora VIP, por mais que faça os cruzamentos corretos, no final vai conseguir (se conseguir) algo perto de 30% de animais diferenciados na melhor das hipóteses.

Corrija-me se estiver errado!

Por outro lado, um criador com vacas medianas, corretamente cruzadas também pode chegar a resultados similares utilizando bons touros de central.

Me avô, desde que me entendo por gente, já dizia - com relação a produção de leite no século passado (dos anos 50 ate os 80 quando ele faleceu). Touro de milhão em vaca de tostão. Claro que não é assim. Mas qualquer "tirador de leite" das antigas sabia muito bem que um holandês cruzado com uma vaca girada ou crioula resultava em um animal que dava pelo menos o dobro da mãe, senão mais.

Nos ultimos dois anos o Gir ganhou status e apareceu na "vitrine", o leite vem ganhando força, os produtores profissionalizando-se, investidores estrangeiros instalando-se no país (voce deve conhecer o projeto da Fonterra na Bahia - pecuária leiteira de alto rendimento associada a irrigação. Os "caras" já estavam lá a alguns anos quietinhos e agora que perceberam que é muito mais negócio produzir leite aqui que na Nova Zelândia vão botar para quebrar...) isso vai consolidar ainda mais o Gir leiteiro.

E claro, quando a procura dispara e a oferta esta restrita a duas dúzias de selecionadores que nas últimas 5 décadas se firmaram e detém o que se "conhece" como o melhor, os preços disparam.

Principalmente porque não são poucos os que vislumbram uma oportunidade como qualquer outra, de ganho financeiro, tem capital e sabem aproveitar o momento.

Para esses o Gir é um negócio como qualquer outro: Nelore, Mangalarga, Santa Inês, ações, empreendimentos imobiliários ou empresas de tecnologia. Estão prontos para "montar" um plantel com a mesma facilidade que o liquidam.

Genética e seleção é coisa para ser trabalhada a longo prazo, e mesmo com as modernas técnicas reprodutivas, os resultados levam anos para frutificar, décadas e não é raro ver que passam de pai para filho e netos.

Por isso, é que acompanho com interesse o que acontece de novo, nas entrelinhas, como o programa de touros da Gir Goiás, os criadores que estão experimentando cruzamentos com linhagens de padrão leiteiro e touros do Gir leiteiro e vice-verso, quem esta garimpando linhagens esquecidas e/ou que sobrevivem anônimas em currais de criadores apaixonados e teimosos que realmente conhecem o gado que tem, cada animal, sua procedência e o que produzem, bem como o que consomem e em que condições.

Por exemplo, gostaria de saber como vão as coisas lá na fazenda da Virgínia Pastor, pesquisas na Epamig, o que o Athos anda planejando, e o que pensam e andam fazendo quem usa animais Eva, ZS, Estiva, e outros que agora me faltam e/ou desconheço. Com certeza você deve conhecer ou ter acesso a um número muito maior de criadores de Gir similares aos que citei. Que tal dar a eles um pouco mais de espaço no blog e divulgar o que tem de bom dando leite e comendo capim nesse Brasil grande?

Quanto aos leilões, bem, continue a divulgá-los (óbvio que devem contribuir para uma receita do blog e você não é instituição de caridade), e depois, é importante conhecer o cenário e saber o que acontece, e refletir sobre isso para corrigir eventuais equívocos
Bem, não vou me estender mais nessa "prosa", senão vai longe, vamos aguardar os próximos capítulos ano que vem.

Enquanto isso, envio os meus votos de um feliz natal para você e família e um prospero ano novo para o blog, para o seu criatório e família.

É uma satisfação acompanhar diariamente o blog.

Grande abraço

SEJ - Johnsson
Rio de Janeiro

Aos leitores das entrelinhas do gir: supersônico e trem bala não tem macha a ré

.
Prezado Rosimar Silva,

A exemplo de milhares de criadores em todo o mundo, sou leitor de carteirinha do Blog Girbrasil, respeito e admiro seu caráter democrático, mas tem coisa que é publicado aqui que não contribui com nada. E a velha cantilhena de sempre, comida requentada.

Tomo por base o ultimo artigo do Sr. Euclides Osvaldo Marques, “A importância das Exposições Agropecuárias”, mais um desabafo que não ajuda em nada a raça. A velha insistência do racial pelo racial, sem propor nada e, sabe-se, também não contribui com nada. Deixo claro também que respeito à opinião dele, como criador e selecionador e também como formador de opinião.

Penso que temos que respeitar as atitudes de cada criador. Mas a raça gir atualmente está em outro patamar, o mercado está aberto e mostrando que tipo de gado deseja. Quer resultado, quer gado de leite, quer produção, equilíbrio. Basta acompanhar os leilões, só tem preço animais de origem consistente e com produção comprovada.

Infelizmente temos também os dissabores dos negócios que não se concretizam, neste caso os super leilões, outro mercado que temos que aperfeiçoar e dominar, conforme noticiou girbrasil em "Criador assume que não pode pagar e devolve o gado", não da para continuar abastecendo o mercado com nossos animais, sem que as firmas leiloeiras, assessorias e todos os envolvidos no processo sejam solidários até o final dos pagamentos dos mesmos.

O mercado sinalizou para o Gir que vai apostar na raça, que está disposto a pagar o preço de apostar no gir como raça leiteira, como opção de raça brasileira voltada exclusivamente para leite, não quer gir simplesmente bonito e raçudo, mas que não produz. Animais bonitinhos só para colecionador, não tem preço, não vende, os tourinhos vão tudo para o Tocantins engordar para frigorífico, ou para quem tiver boa lábia, vender como Gir Leiteiro.

Por falar em dupla aptidão, na maioria das exposições brasileiras não tem mais esse tipo de julgamento. Na Expozebu está reduzindo cada vez mais. No ano que vem a expozebu terá uma grande novidade: meu amigo Fábio André, o maior expositor de gir padrão de todos os tempos, poderá não participar do julgamento de dupla aptidão.

Ele que por mais de três décadas vem ganhando prêmios na Expozebu está percebendo que não adianta mais permanecer nessa via e acompanha a soberania do mercado selecionando gir para leite.

È mais ainda, com o "juntamento" no mesmo julgamento do Gir com o Gir Mocho (Expozebu 2010), a tão falada e defendida "cabeça bonito", vai nos próximos anos ser mero instrumento de lembranças no Museu do Zebu, a cabeça do Chave do Ouro e linda, minha primeira lembrança do Museu.

As pistas analisarão somente os aspectos produtivos dos indivíduos em julgamento, para dai em diante serem multiplicados, ninguém multiplica "porcaria" não, mesmo que ela, a "porcaria", seja o GRANDE CAMPEÃO DA NACIONAL DO GIR LEITEIRO.

Agora dizer que precisamos melhorar mais o gir leiteiro é outra coisa. Moralizar os controles leiteiros oficiais também é uma luta patriótica. Não dá para conviver com as super lactações, que só denigre a raça e pesam no bolso, seja do pequeno ou do grande criador.

Encontrar um rumo para que os controles sejam realmente feitos em patamares dentro da lógica e, principalmente, do bom senso e com custos aceitáveis, Isso sim terá que ser feito.

Precisamos achar o rumo, senão o gir leiteiro - A cabeça do C.A Sansão - vai fazer dupla com o Chave de Ouro, mais uma vez no Museu. Supersônico e Trem Bala não tem Macha a Ré.

Aqui, aproveito para fazer uma cobrança às associações, principalmente a ASSOGIR que ainda não disse a que veio, poucos projetos e quase nenhuma ação neste sentido, se tem alguma coisa, ninguém sabe, pois não esta sendo divulgado.

Neste aspecto, acho que a ABCZ tem que assumir seu papel de delegado do Ministério da Agricultura e por o dedo na ferida. Não é possível mais conviver com as super lactações e as lactações que não existe.

Também é preciso estabelecer uma conduta ética entre os criadores para o fato das lactações “fabricadas”, com animais super tratados, confinados e medicados, estes não estão dando lucro para ninguém, a não ser para quem participa da "festa armada dos super leilões"

Penso que não é porque a raça atingiu patamares de preços jamais imagináveis que vamos dizer que está tudo pronto. Não, temos desafios grandes ainda.

Precisamos ampliar, e muito, o rebanho realmente leiteiro, ampliar a persistência de lactação dos nossos animais, melhorar mais úberes e tetos, e, principalmente, moralizar os controles leiteiros, fazer as fêmeas parir, qualificar nossa mão de obra e a nós mesmos, entender todo o processo, para ai sim termos sustentação real no nosso negocio.

Precisamos de uma estratégia clara e objetiva para fugir da endogamia, da consaguinidade do gir leiteiro, por isso acho que não custa nada apoiar o teste de progênie de Goiás, a única novidade do gir leiteiro dos últimos tempos. Uma coisa é aproveitar o momento de valorização do gir e ganhar dinheiro, outra coisa é pensar a raça como criador e selecionador, com os olhos voltados para o futuro. Nosso sonho é ver o Brasil povoado de gir como raça leiteira. Para isso carece de seriedade, pesquisa cientifica, muito trabalho e cuidado nas decisões que tomamos neste momento, pois essas decisões podem custar caro no futuro.

Desejo a todos que as Festas do Final de Ano transcorram com paz e com a certeza de dias melhores. Pois não temos como viver o dia de ontem, a não ser com as nossas lembranças, sejam elas boas ou ruins.

Caio Sandro de Araújo
caiogir@gmail.com
Gir Arca
Caldas Novas - Goiás

19/12/2009

Criador assume que não pode pagar e devolve o gado



.
Goiânia (GO)
– 2009 foi um ano de grande euforia para o mercado do Gir. Altas médias em leilões. Grandes pecuaristas e investidores entraram na raça. Esse super aquecimento dos preços gerou uma expectativa de valorização; nunca se fez tantos embriões de gir como agora. O desejo é que 2010 seja mais um ano de grandes vendas e altas médias.

Mas, no apagar das luzes de 2009, no estouro do champanhe, chegam notícias desagradáveis. Acabo de ser informado de que o criador Jorge Caixeta, da tão famosa dupla Lucas e Jorge Caixeta (Filho e pai), um dos maiores investidores dos dois últimos anos do leilão de Gir Leiteiro, comprador dos lotes mais cobiçados e valorizados dos leilões nacionais, jogou a toalha, abriu a porteira da sua fazenda aos vendedores pare que retirem o gado, pois, segundo esses credores, prefere devolver os animais adquirido em leilões.

A maioria das aquisições de Caixeta, gado e prenhezes, está em uma fazenda no interior de Goiás, de onde estão sendo retirados pelos vendedores. O próprio Caixeta pediu aos vendedores para que providenciasse a retirado dos animais.

Segundo Girbrasil apurou com credores que estiveram na fazenda em Goiás, nos últimos dias já foram retirados vários caminhões de gado. A informação é de que os animais da raça gir, guzerá e receptoras prenhas estão soltos em um único pasto.

O investidor
No dia 10 de novembro de 2008, Girbrasil noticiouCriador mineiro vende rebanho de gir dupla aptidão para criar gir leiteiro”, dando conta de que Jorge Luiz Caixeta, de Uberlândia, havia liquidado o seu plantel de gir dupla aptidão e segundo Lucas Caixeta, filho de Jorge, “agora estamos somente com Gir leiteiro, acabamos com o gado padrão e – emenda – estamos com tudo”.

A partir desse dia os nomes Luca e Jorge Caixeta não saíram das bocas dos pisteiros das leiloeiras da televisão. Investiram somente em animais tops e de alto valor. O maior feito da dupla foi associarem-se ao criador gaúcho Carlos Jacob Vallauer para comprar a vaca Planta TE Cal, de Gabriel Andrade, por R$ 645 mil, cujas parcelas foram de R$ 21 mil e 500.

Durante esse tempo de investidor, os Caixetas não tiveram dificuldades para encontrar novos sócios. Associaram, por exemplo, a Luciano Conceição, de Brasília, para, juntos, comprarem uma filha da vaca Oferenda com Sansão por R$ 100 mil.

Em 24 de maio de 2009 Girbrasil publicou a seguinte nota: “A última investida da dupla “Caixeta” de Uberlândia foi tornarem-se sócios de Flávio Peres, da Fazenda Brasília. Jorge Caixeta comprou 50% de Unidade de Brasília, uma doadora de 11.395 quilos de leite, filha de herdeiro de Brasília na Luzíada de Brasília, no 6º Leilão Virtual da Fazenda Brasília, dia 20 de abril de 2009”.

Jorge Caixeta também comprou animais caros de Demetrius Mesquita, de Brasília. Da fazenda Jacurutu ele levou Deusa Fiv Jacurutu por R$ 60 mil e Lenda Fiv Jacurutu por R$ 30 mil.

Ainda em Brasília, Caixeta comprou do criador Leo Machado, da fazenda Mutum, o lote mais caro do leilão Puro de Origem, durante a Expozebu 2009: uma prenhez da vaca Deliciosa com Radar dos Poções, por R$ 74.000,00.

A expozebu foi realmente palco das investidas de Jorge Caixeta. No dia 4 de julho de 2009, durante o 2º leilão Nobrezas do Gir Leiteiro, realizado na Chácara do Nelore Nacional, promovido por Mateus Giannine, José Marcio e Carlos de Simoni Silveira, Miller Cresta, José Coelho Vitor e Guto Quintela, cuja média do leilão foi de R$ 32,117,65, a maior média da Megaleite, com faturamento total de R$ 1.092.000,00, ele foi o maior comprador. Naquela noite ele assinou R$ 260 mil em promissórias.

Jorge Caixeta e o filho Lucas Caixeta estavam tão acostumados a comprar que os leiloeiros da televisão não cansavam de repetir os nomes deles numa clara referência de que eram e foram, por muito tempo, os maiores investidores. Era comum ouvir durante os leilões virtuais, "aqui comigo pai e filho, filho e pai, Jorge e Lucas, Lucas e Jorge Caixeta". A fara do dinheiro fácil.

Castelo de areia
Agora acabou o sonho. Os grandes leilões não terão mais Lucas e Jorge Caixeta como compradores, nem como vendedores. Esta semana será uma correria pelo interior de Goiás na maior operação de resgate de gado, só comparada àquela de Quincas Borges nas matas bolivianas no século passado.

Jorge Caixeta jogou a toalha e assumiu que deu um passo maior que as pernas. Com a devolução de todo o gado, os vendedores, evidentemente, contabilizarão seus prejuízos, mas o grande perdedor de tudo isso é o próprio Jorge Caixeta que perdeu muito dinheiro em todas essas operações, pois em muitos casos chegou a pagar algumas parcelas, comissões de leiloeira e fretes, além de várias fazendas arrendadas com pagamento adiantado. E ainda tem a perda moral.

Consta que uma grande leiloeira do Brasil tenta impedir a saída do gado das fazendas de Jorge Caixeta para assegurar pagamentos atrasados de comissões. A ordem agora é salve-se quem puder, o objetivo é reduzir prejuízos.

Lição
Esse tipo de coisa era esperado na raça gir depois dessa super valorização dos animais em leilões de elite. Esse é o risco que os vendedores terão que passar nessa hora de grande procura pela raça. Sabe-se que existe uma grande inadimplência nas vendas por meio de leilões. A coisa pode piorar, pois as parcelas agora estão ficando de “sumir de vista”. Antes eram 14 parcelas, foi para 16, 20 e já foram realizados negócios em até 30 parcelas. Estamos caminhando para igualar aos leilões de cavalos, em que são fechados negócios em até 50 parcelas.

Para um comprador pagar uma parcela alta durante 30 meses tem que ter dinheiro sobrando, senão não paga mesmo. Esse fato lamentável com o criador Jorge Caixeta talvez faça o mercado refletir sobre suas práticas.

O criador honesto que levou anos e anos selecionando, aprimorando e agregando valor ao seu produto, precisa de mais segurança do mercado para colocar seus animais à venda em demoradas parcelas. As leiloeiras precisam analisar melhor os cadastros, saber quem realmente está cumprindo com seus compromissos para depois vender.

Corre à “boca miúda” um movimento de criadores de gir que gostariam de ver as comissões de leiloeiras e leiloeiros serem parceladas na mesma quantidade das parcelas das vendas dos animais. Consideram que esses prestadores de serviço também precisam correr riscos e não ganhar o dinheiro limpo na hora e deixar o problema somente com os vendedores.

18/12/2009

A importância das Exposições Agropecuárias

.

Euclides Osvaldo Marques
Estância do Gir
São Jose do Rio Preto-SP



A grande contribuição das exposições de gado zebu no Brasil, além de proporcionar maior aproximação entre selecionadores, criadores e produtores rurais para troca de informações e possibilitar oportunidades de negócios, sem dúvida alguma a finalidade principal é submeter à apreciação do público, animais para serem comparados entre si, a fim de aquilatar o seu progresso e os índices de desenvolvimento da pecuária zebuína nacional.

Este princípio vale para todas as raças, pois o que se deseja é o Melhoramento Genético do Zebu brasileiro, sempre respeitando as características individuais e milenares de cada raça.

Jamais um Guinu das Savanas Africanas será confundido com qualquer animal da raça zebuína, portanto, qualquer criador que deseja participar de uma Exposição deve antes de mais nada, tomar conhecimento das principais características da raça que cria e seleciona.

A maior Exposição de Zebu do mundo, a Expozebu de Uberaba, traz a cada ano o seu
Regulamento que vai nortear a participação dos animais e dos criadores de cada raça.

Fora as exigências normais como RGN ou RGD do animal, outras são imprescindíveis para a participação, ou seja, peso mínimo, atestado andrológico para machos a partir de 20 meses, ser participante ou ter participado do Controle do Desenvolvimento Ponderal
CDP e/ou Prova de Ganho de Peso - PGP, comprovação de parto anterior aos 36 meses para o Gir, enfim, não basta eleger nossos animais como sendo os melhores indivíduos, é preciso estarmos em perfeita sintonia com as normas estabelecidas, para enfim, submetê-los ao comparativo com os demais animais.

Uma vez perfilados na pista de julgamento e com movimentos circulares no sentido anti-horário, começa aí sob os olhares atentos dos juízes, o julgamento dos animais que premiará os melhores de cada categoria, os Campeões e os Grandes Campeões de cada raça.

A fonte de referência dos julgadores, não é o PTA do touro, Catálogos de Centrais, e nem preços praticados nos leilões, e sim, as características raciais definidas pelo
Regulamento Genealógico das Raças Zebuínas.

O veredicto dos jurados é inapelável, e a cada campeonato, é feito comentários técnicos relativos a classificação dos animais, o que para mim é o ponto alto de qualquer julgamento, pois os defeitos são apontados de forma objetiva em relação ao seu par de classificação, até chegar às qualidades do 1º colocado.

Todo esse processo, só é possível porque os criadores preparam seus animais e os submetem ao comparativo com todos os demais participantes, culminando por eleger o Grande Campeão e a Grande Campeã de cada raça.

Os machos passam a ser referência de modernidade na pecuária nacional, assediados e contratados pelas principais Centrais. As fêmeas verdadeiras barrigas de ouro para a constituição de novas famílias.

Agora eu pergunto: alguém sabe onde e em qual Central estão os Touros da Raça Gir Padrão Grande Campeões da Expozebu de Uberaba? Os touros com preços mais caros da historia do Gir e os recordistas na venda de sêmen foram campeões em quais exposições do Brasil? Passaram pelo crivo dos juízes da ABCZ ? Se submetidos ao processo trivial do comparativo teriam chances de serem premiados? Os proprietários estariam preparados para ouvir os comentários técnicos dos julgadores de forma objetiva e imparcial dos principais defeitos do animal? Não há PTA que salve nas pistas de julgamento um animal curto, baixo, umbigudo, pernas excessivamente curvas, sem falar na pouca caracterização racial.

Entendo a raça Gir como sendo única na sua caracterização racial, sendo que uns produzirão mais leite ou carne do que outros, enquanto que o padrão racial determinado pelo regulamento é inconfundível. Falar do Gir para a produção de leite e ignorar a sua rusticidade, é o mesmo que adotar o mesmo manejo dos rebanhos de origem européia.

Portanto, fica aqui um convite para o ano de 2010 a todos os criadores de gir do Brasil.
Preparem e levem seus animais nas principais exposições, mesmo que não sejam premiados, vale a participação , afinal, os Grandes Campeões serão os de melhor caracterização racial, constituição robusta, musculação compacta e bem distribuída por todo o corpo, garupa comprida e larga, costelas arqueadas e pernas bem aprumadas.

Porque não tomamos como exemplo os neloristas que participam de todas as exposições ranqueadas e fecham com chave de ouro o Ranking na Expoinel de Uberaba, onde são premiados os melhores animais, criadores e expositores de todo o Brasil.

Pensem nisso, e um feliz 2010 a todos os criadores , selecionadores e usuários da genética do Zebu, em especial, aos criadores de Gir do Brasil e de todo o continente.

Informações sobre produção de leite a pasto

.
Prezado Drº Ivan, (Ivan Luz Ledic - ex-pesquisador da Embrapa e Epamig)

Gostaria de mais informações sobre o sistema de produção de leite da Epamig, e sobre se suas afirmações quanto ao sistema estarem no verbo futuro trata-se de um projeto em andamento ou uma maneira de se expressar do mestre.

A Epamig referida é localizada aonde? E sabe se podemos visitar? A comercialização é feita somente em leilões como toda empresa pública? Tem histórico de preços? Ainda sobre o assunto poderia informar-me sobre quais fazendas criam gir e produzem leite de fato e se principalmente que não sejam vendedoras de "diamantes comedores de capim", digo, que comercializem de modo ao pequeno e médio produtor terem acesso a genética?

Desculpe a extensão do texto, mas preciso concluir um estudo sobre se devo ou não criar gir, estou trabalhando para um sistema rotacionado, irrigado, de alta produtividade, já funciona aqui na minha região com algumas unidades demonstrativas usando o girolando, mas queria um diferencial e trabalhar com uma raça PO que produzisse ao menos 10/l dia/vaca e acima disso ficaria ao meu critério como produtor, no caso o diferencial estaria na venda excedente de bezerras com valor genético bom, obviamente que sem pensar nos exageros que vemos, algo em torno de 100% sobre o valor de uma bezerra comercial girolando, pois já trabalho com IA e tenho conseguido resultados satisfatórios com o sêmen sexado em girolandas.

Desde já agradeço,

E sinto-me honrado em poder compartilhar com sua pessoa de assuntos pertinentes a pecuária nacional.

Antônio Adolfo Carneiro Alvarenga
Planaltina – DF
14 de dezembro de 2009



Resposta:
Prezado Antônio,

A descrição estava no futuro porque peguei a descrição que tinha em meu computador de um projeto de 2004 (quando tínhamos apenas pastagem rotacionada de capim elefante).

Estou aposentado desde início de 2008 e atualmente o coordenador do rebanho é o pesquisador Leonardo, especialista em pastagem e professor também na Fazu. O fone de contato é 34 3317-7600. As visitas na Fazenda são abertas a quem quiser ir e o ideal é falar com o técnico agrícola Flávio ou Francisco. A Fazenda fica na área urbana da cidade de Uberaba.

Alguns poucos animais são vendidos ao longo do ano, sem necessidade de publicação em editais e para obter informações é só ligar lá.

Tem muitos criadores de Gir que produzem leite de capim, com preços comerciais e cito alguns, dos quais você pode também pedir informações na ABCGIL com o André (34 3331-8400). Atualmente são mais de 200 sócios e você pode pedir a Revista para eles onde constam todos associados.

Mas você pode obter mais informações com esses criadores abaixo:
Renato Guimarães (Fazenda Indaiá) em Pirái no RJ (editor@revan.com.br ou www.girpirai.com.br)

Luciano Luzes, Fazenda Badajós em Uberaba (www.badajos.hpg.com.br)

Adelmo Carneiro Leão, Sítio Paraíso) em Conquista, perto de Uberaba (pedrovolc@yahoo.com.br)

Joe Carlo Valle (Fazenda Malunga), Planaltina, Brasília, www.Malunga.com.br que tem produção orgânica de leite comGir

Em Goiás você pode contactar o presidente da Girgoiás e editor do Blog Girbrasil, o Rosimar Silva, no rosimardogir@gmail.com

Tem vários outros, inclusive uma pessoa que tem um trabalho interessante, pois tinha um rebanho mestiço e foi absorvendo para o Gir, sendo que tem os vários graus de sangue até o LA, com histórico muito interessante (Fazenda Gramado) José Luiz Costa. www.fazendagramado.com.br, sanad766@terra.com.br

Tem também o Silvio Queiroz, Presidente da ABCGIL, Fazenda Arapoema, em Uberaba (silviop@solar.com.br ou presidente@girleiteiro.org.br).

Tem também o José Sab Neto, presidente da Assogir que está identificando e selecionado vacas do antigo plantel de seu pai, Fazenda Americana, em Uberaba (josesab@fazendaamerica.com.br).

Você pode obter infarmações, também, com Bráulio Queiroz (irmão do Silvio), na Fazenda Nova Estiva, em Uberaba; o Rodrigo Simões (Lapa Vermelha) em Pedro Leopoldo; O Aníbal Vercesi (Fazenda Bela Vista) em Guapé, MG; o João Cruz (Fazenda Sumaúma) em Miradouro, MG, além do Onofre Ribeiro (Estância Jasdan), em Paraopeba, MG e Arthur Filizolla (Agropastoril dos Poções) em Jequitiba, MG e o Núcleo da Bahia.


Atenciosamente,
Ivan Ledic
Uberaba (MG)
14 de dezembro de 2009

17/12/2009

Revista de Uberlândia publica matéria sobre Girbrasil


.
Foto: Revista Interural
Milton Neto e Vicente Nogueira da Tropical Genética, de Uberlândia (MG), Heverardo Carvalho, diretor da Alta Genetic e o touro Vale Ouro da Silvânia, destaques da edição de dezembro/2009 da Revista Interural, de Uberlândia (MG)



Uberlândia (MG) – Já está circulando a última edição da Revista Interural, que traz como destaque (capa) uma matéria completa sobre a parceria entre a Tropical Genética, de Uberlândia (MG) e a Alta Genetics. Essas duas empresas são sócias de Eduardo Falcão no touro Vale Ouro da Silvânia, que segundo Milton Magalhães de Almeida Neto, um dos sócios da Tropcial Genética, “é o touro da raça Gir leiteiro que reúne todas as características desejáveis para o melhoramento genético da raça, Vale Ouro TE da Silvânia possui o melhor composto de úbere da raça”.

A aquisição do touro aconteceu no leilão promovido pela Estância Silvânia, durante a Feileite 2009, quando Eduardo Falcão, conhecido por seu seleto plantel de touros e doadoras com uma genética de ponta na raça Gir Leiteiro, disponibilizou 50% do touro Vale Ouro TE da Silvânia, campeão de Vendas de Sêmen no ano de 2008. Alta e Tropical são donas de 10% do touro.

A Estância Silvânia fica, agora, com metade da propriedade sobre o animal, a outra parte foi dividida em cotas entre Alta Genetics e Tropical Genética (10%), José Alves Neto (10%), Júlio Pereira Vilela (10%) e Valdir Albino de Figueiredo (20%).

Segundo Mario Knichalla Neto, diretor da Revista Interural “ a partir desse mês de dezembro, a Interural passa a ser distribuída gratuitamente para todos os associados da Girolando, ABCGIL e ASSOGIR. Agora, todos os grandes produtores de leite do país serão informados mensalmente com as notícias e as reportagens escolhidas com todo o profissionalismo e critério InteRural”, finaliza.

A principal mídia gir do país
Nesta mesma edição, a revista Interural traz uma longa matéria sobre o blog Girbrasil, destacando a importância do blog para o crescimento da raça no Brasil.

Na matéria, com fotos do criador e jornalista Rosimar Silva, a revista ouviu vários criadores de gir sobre o trabalho do blog Girbrasil. Você pode conferir a matéria aqui em Girbrasi ou nas páginas do site da Interural.

Nesta mesma edição, uma entrevista com Eduardo Milagre, da Estância Milagre, em Uberlandia. Vala à pena conferir.

Sumário completo da edição de dezembro/2009 da Revista Interural:

Notas
Confira as principais notícias do agronegócio

Informe Publicitário
Notícias em Alta

InteRural News
Fique por dentro de todas as novidades que acontecem na InteRural

Leucena
Banco de proteína de leucena, mais uma alternativa interessante

Café
Ocorrência do ácaro vermelho no cafeeiro

Silagem
Reduza as perdas de silagem próxima à parede do silo

TROPICAL E ALTA, UMA VISÃO QUE VALE OURO
Empresas fazem parceria na compra do touro mais completo e valorizado do Gir Leiteiro

Produtor de Sucesso
Entrevista com Eduardo Milagre

Girbrasil
A Principal mídia Gir do País

Fêmeas Leiteira
Manejo de fêmeas leiteiras visando a

Ovinocultura
Quanto custa produzir cordeiros?

Quarentena
Uma das ferramentas para o sucesso

Carne bovina
Suspenção e crédito presumido de PIS/PASEP e COFINS nas operações com carne bovina

PDCA
A aplicação da ferramenta PDCA na solução de problemas de empresas rurais

Turismo rural
Importância econômica

Culinária
Pernil

Feileite 2009
Empresários e produtores se reúnem para discutir o mercado leiteiro e realizar negócios

Leilão Mulheres do Gir
Mulheres do Gir promovem disputado leilão durante a Feileite

Agronegócios
3° Workshop Unipac de tecnologia aplicada à gestão

Leite
Produtores discutem saúde do úbere e qualidade do leite

Revista InteRural
lançamento da edição de novembro da InteRural

Fenagro 2009
Feira Internacional do Agronegócio

Dia de Campo
2° Dia de campo COTRIAL / ITAMBÉ

Vida de Leiloeiro
Entrevista com João Antônio Gabriel

Gir leiteiro
Gir das américas foi palco dos novos recordes de preço da raça Gir leiteiro

Leilões InteRural
Balanço dos leilões de Novembro