22 de nov de 2007

José Afonso Bicalho denunciado no STF

Goiânia (GO) - O procurador-geral da República, Antônio Fernando Souza, ofereceu denúncia ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra 15 suspeitos de envolvimento com o mensalão tucano. O esquema teria sido usado na campanha a governador do atual senador Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998. Entre os 15 nomes está o do atual tesoureiro da Abcgil e criador de Gir Leiteiro em Ferros (MG), José Afonso Bicalho Beltrão da Silva (foto). Segundo o jornal Folha de São Paulo, José Afonso Bicalho “foi diretor-presidente do BEMGE (Banco do Estado de Minas Gerais) de 1995 a 1998. Foi responsável por cinco repasses de R$ 100 mil para a SMP&B Comunicação”, do publicitário Marcos Valério. Veja integra da representação do procurador-geral aqui.

Nota do Editor:

Essa história de mensalão vem se arrastando há muito tempo e todas as pessoas que, de alguma forma, participaram de governos, ou gestões que envolveram as transações que poderia propiciar arrecadação de dinheiro para o esquema estão sendo investigadas. É o preço que se paga por ser político, ou técnico de governo. É o caso do José Afonso Bicalho. Era o presidente do Banco e pagou as faturas da empresa de publicidade que prestou os serviços ao Banco.

Conheço o “Zé Afonso” há vários anos como criador e companheiro do Gir. Sei que ele é um dos principais economistas do Estado de Minas e sempre é requisitado para trabalhar em cargos importantes em governos de diferentes siglas partidárias. Portanto, não é um quadro político, mas um excelente quadro técnico. Atualmente é o Secretário de Finanças da Prefeitura de Belo Horizonte, que é administrada pelo PT.

Foi presidente do BEMGE (Banco do Estado de Minas Gerais) no governo do PSDB. Sua competência foi reconhecida pelo prefeito petista de Belo Horizonte e hoje ocupa esse cargo.

Zé Afonso é uma pessoa simples, generosa, companheira e, acredito, limpo dessa lama toda que foi o esquema de arrecadação de dinheiro para campanhas políticas. Posso até estar enganado, mas até que me provem o contrário, o Zé Afonso merece o meu respeito, a minha confiança e provará que é apenas um suspeito pelo simples fato de ser o presidente do Banco na época do episódio do chamado mensalão dos tucanos em Minas.

Um comentário:

Geraldo Pinho disse...

José Afonso foi meu amigo de infância fomos criados juntos,quem teve a criação que tivemos carrega uma bagagem muito grande de honestidade.